Adspace 728x90

Caminhada marca Dia Nacional Contra a Exploração do Trabalho Infantil

Para lembrar o Dia Nacional Contra a Exploração do Trabalho Infantil, comemorado em 12 de junho, a Secretaria Municipal de Assistência Social, promoveu nesta terça-feira (09), nas principais ruas do povoado do Buril, distrito do município de Crisópolis, uma Caminhada com o tema "Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil" buscando conscientizar os comerciantes e as famílias sobre os direitos das crianças e adolescentes e os prejuízos: físicos, psicológicos e sociais ocasionados às crianças e adolescentes vítimas da exploração do trabalho infantil.


Houve distribuição de panfletos informativos, adesivos, utilização de carro de som e peça teatral para chamar a atenção de todos.


A caminhada é uma iniciativa da secretaria de assistência social, através do CRAS e contou com a participação das equipes do CREAS, Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente, Conselho Tutelar e profissionais em Serviço Social.


Estiveram presentes o prefeito Edinal Costa, a primeira dama e secretária de assistência social Linete Francisca, os vereadores Giovani do Sindicato e Josimar Andrade. Em apoio ao movimento expressaram suas mensagens de conscientização a esse tipo de abuso que acaba abortando a possibilidade de um futuro melhor para essas crianças e adolescentes. O vereador Giovani, como membro de uma entidade sindicalista ainda se aprofundou e evidenciou que é muito grande a exploração do trabalho infantil em Crisópolis, com pelo menos 800 casos constatados, fato que preocupa o futuro dessas crianças.




O sucesso do evento foi consolidado com a apresentação de uma linda peça teatral que encenou com muita irreverência o descontentamento da criançada ao serem postas para o trabalho, mostrando que elas estão mais felizes quando em momentos recreativos e educativos.

Colocar uma criança para trabalhar, ou permitir que ela trabalhe, é tirar dela a infância e a possibilidade de um futuro melhor.


O importante papel do 5º Pelotão de Polícia Militar de Crisópolis também foi elogiado e recebeu os agradecimentos da equipe da Secretaria de Assistência Social. Os soldados PM Moura e PM Cley, estiveram presentes e acompanharam todo o percurso da caminhada.

O que diz a Lei?

A Constituição Federal, lei maior brasileira, diz que uma pessoa só pode trabalhar a partir de 16 anos. Antes dessa idade, a criança deve receber educação, lazer e todo tipo de cuidados. Deve aproveitar a infância para estudar e brincar.


Antes de 16 anos só se pode trabalhar, a partir de 14 anos, na condição de aprendiz (Lei 10.097/00), com todos os direitos trabalhistas que lhe garanta um futuro profissional. Mas há algumas restrições: o trabalho não pode ser noturno, perigoso, insalubre, penoso, realizado em locais prejudiciais à sua formação e ao seu desenvolvimento físico, psíquico, moral e social, nem realizado em horários e locais que não permitam a frequência à escola.

Proteção integral


A Constituição Federal, artigo 227, prevê :” É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”


Razões pelas quais crianças não devem trabalhar: 

Crianças ainda não têm seus ossos e músculos completamente desenvolvidos. Correm maior risco de deformações dos ossos, cansaço muscular e prejuízos ao crescimento.

A exposição das crianças às pressões do mundo do trabalho pode provocar diversos sintomas, como por exemplo, dores de cabeça, insônias, tonteiras, irritabilidade, dificuldade desconcentração e memorização, e, consequentemente, baixo rendimento escolar. Isso ocorre mais facilmente nas crianças porque o seu sistema nervoso não está totalmente desenvolvido. Além disso, essas pressões podem causar diversos problemas psicológicos, tais como medo, tristeza e insegurança.

O trabalho infantil provoca uma tríplice exclusão: na infância, quando perde a oportunidade de brincar, estudar e aprender; na idade adulta, quando perde oportunidades de trabalho por falta de qualificação profissional; na velhice, pela consequente falta de condições dignas de sobrevivência.


Visão errada


É mito pensar que se a família precisa, a criança deve trabalhar para ajudar na renda doméstica. É mito também achar que trabalho precoce afasta a criança das ruas, da violência e da marginalidade.

Na verdade, criança que trabalha acaba sendo prejudicada nos estudos: ou repete muito a serie, ou abandona de vez a escola, já que quase não lhe sobram tempo e energia para estudar. Sem estudos, não haverá para ela mais tarde espaço no mercado de trabalho, que é cada vez mais exigente! E então, quando adulta, será desempregada, permanecendo no mesmo ambiente de pobreza em que viveram seus pais.


Porémas tarefas que são desempenhadas pelas crianças em suas próprias casas, como arrumação da cama, dos brinquedos, dos materiais escolares, e outras são, caracterizadas como processos educativos na formação do senso de responsabilidade.

Criança que trabalha está exposta a vários riscos:

Violência física, psicológica, sexual, racial e de origem social;

Surras e espancamento;

Assedio moral: gritos, xingamento, humilhações;

Intoxicações: com produtos químicos, de limpeza, inseticidas e agrotóxicos;

Acidentes em geral: no serviço doméstico, com ferro quente, água fervendo, facas e vidros; nas ruas atropelamentos; nasindústrias, perda de dedos, braços, ou ate morte;

Oferta de drogas e bebidas alcoólicas.













Crisópolis em Foco: Informação e Cidadania.


  • Comentar via Blogger
  • Comentar via Facebook
Item Reviewed: Caminhada marca Dia Nacional Contra a Exploração do Trabalho Infantil Rating: 5 Reviewed By: Hamilton Bispo